Meningocócica

VACINA MENINGOCÓCICA B (VACINA MENINGOCÓCICA B RECOMBINANTE)

A meningite meningocócica (infecção das membranas que recobrem o cérebro) certamente está entre as doenças de maior temor entre as doenças passíveis de prevenção por meio de vacinas. Sendo que a principal bactéria responsável é a neisseria meningitidis (meningococo) que determina uma das  causas mais frequente de meningite bacteriana no Brasil.

Contaminação

Pacientes portador do meningococo em contato próximo com pessoas que convivem na mesma residência poderão transmiti-lo  através de secreções respiratórias e da saliva. Locais de aglomerações podem ser de maior risco para transmissão e de surtos de infecções por meningococo.

A doença meningocócica(DM) pode  clinicamente apresentar-se como meningite ou meningococemia ou ambas. A doença meningocócica apresenta um quadro clínico cuja evolução gravidade e  características epidemiológicas tem desfechos muitas vezes graves , sendo estes fatores determinante para fazermos vacinas pois esta é o principal método de prevenção.

Todas as pessoas não vacinadas são passíveis de contrair a infecção pela bactéria Neisseria meningitidis (meningococo), segundo  dados do SINAN no Brasil a DM é mais frequente entre crianças menores de 5 anos.

Proteção

As  vacinas,  existentes  possuem apresentações seguras são vacinas inativada, portanto, não causa infecção.

Quem deve receber e como

As Sociedades Brasileiras De Pediatria (SBP) e Imunizações (SBIM) recomendam.

Para crianças a partir de 2 meses de idade, adolescentes e  adultos até 50 anos

Viajantes com destino a regiões de risco aumentado para doença meningocócica.

Lactentes  que iniciarem a partir de 2 e 5 meses de idade   .

Três doses aos 3, 5 e 7 meses de idade e reforço entre 12-15 meses.

Lactentes que iniciam a vacinação entre 6 e 11 meses

Duas doses, com dois meses de intervalo, e 01 dose de reforço no 2o ano de vida. Com um intervalo mínimo de dois meses da última dose

Para crianças que iniciam a vacinação entre 12 meses  e 10 anos de idade,

 Duas  doses, com 2 meses de intervalo entre elas.

 Adolescentes e adultos são indicadas

Duas doses com intervalo de 1 a 2 meses. A indicação depende da situação epidemiológica.

Esta vacina poderá ser feita concomitante com outras do calendário vacinal, sendo que todos devem seguir orientação médica para manter seu calendário vacinal atualizado.

Fontes de pesquisa ;

  1. Ministério da Saúde
  2. Sbim 
  3. SBP