União Pró-Vacina cria contador de mortes evitadas pela imunização

Iniciativa quer unir instituições acadêmicas, poder público e órgãos da sociedade civil para combater a desinformação sobre vacinas

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que as vacinas evitem entre 2 e 3 milhões de mortes todos os anos. Outras 1,5 milhão de mortes poderiam ser evitadas se a cobertura vacinal alcançasse os índices ideais.

Baseando-se nesses dados, a União Pró-Vacina desenvolveu um contador em tempo real mostrando quantas mortes em todo o mundo já foram evitadas em 2020 pelas vacinas e quantas mais poderiam ser prevenidas com uma taxa maior de vacinação.

O contador pode ser acessado neste link. O objetivo é conscientizar as pessoas a manterem atualizadas suas cadernetas de vacinação e, principalmente, as de seus filhos.

A imunização por meio de vacinas pode ser considerada uma das grandes histórias de sucesso da medicina moderna. Mesmo os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, definidos pela Organização das Nações Unidas (ONU), dependem diretamente da expansão do acesso às vacinas. Além de evitar doenças graves como câncer, sarampo e poliomielite, elas estão associadas a resultados positivos na educação e também na economia. Afinal, uma população saudável e livre de doenças tem mais condições de estudar e trabalhar, promovendo assim o desenvolvimento do País.

Sobre a União Pró-Vacina

A União Pró-Vacina é uma iniciativa organizada pelo Instituto de Estudos Avançados (IEA) Polo Ribeirão Preto da USP em parceria com o Centro de Terapia Celular (CTC), o Centro de Pesquisa em Doenças Inflamatórias (Crid), os projetos de divulgação científica Ilha do Conhecimento e Vidya Academics, e o Gaming Club da FEA-RP.

O objetivo é unir instituições acadêmicas e de pesquisa, poder público, institutos e órgãos da sociedade civil para combater a desinformação sobre vacinas, planejando e coordenando atividades conjuntas durante todo o ano de 2020, explorando as potencialidades de cada instituição participante.

Entre as ações que serão realizadas estão: produção de material informativo; intervenções em escolas, espaços públicos e centros de saúde; eventos expositivos; combate às informações falsas e desenvolvimento de games.

Instituições, grupos e associações interessados em integrar a iniciativa e colaborar com os projetos podem entrar em contato pelo e-mail iearp@usp.br.

Fonte: Jornal USP

Compartilhe