Capital paulista registra 1º caso de sarampo desde 2015

Após quase quatro anos sem ocorrência de sarampo, a capital paulista registrou em março o primeiro caso confirmado da doença desde setembro de 2015. A confirmação foi dada pela Secretaria Municipal da Saúde. Segundo a pasta, trata-se de uma infecção importada – a contaminação ocorreu na Noruega. Não há ainda casos autóctones da doença (quando a transmissão é interna) confirmados na capital – o último ocorreu justamente em 2015. No entanto, além do caso confirmado, outros 35 suspeitos foram notificados neste ano e estão sendo investigados pela Prefeitura.

A secretaria não informou detalhes sobre o caso confirmado da doença nem sobre o estado de saúde do paciente. O mais recente boletim do Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual da Saúde, no entanto, datado do dia 20 de março, informa que o caso confirmado na capital é isolado e tem como vítima um bebê de 5 meses. Ele teria viajado para a Europa, continente que vive um grave surto da doença. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), somente em 2018 foram 82,5 mil casos confirmados da doença e 72 mortes por sarampo na Europa. Dos 53 países que compõem a região, 47 tiveram registro do vírus. O surto de 2018 foi o pior em uma década.

Já no Brasil o recente surto tem castigado mais Estados do Norte do País e levou à perda do certificado de eliminação do sarampo, conquistado pelo Brasil em 2016. Desde que a doença voltou a circular em território brasileiro, no ano passado, já foram 10,3 mil casos confirmados e 12 mortes. As unidades da federação com o maior número de infecções são Amazonas (9.803) e Roraima (355), mas registraram casos da doença também Pará, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Sergipe, Pernambuco, São Paulo, Bahia, Rondônia e Distrito Federal.

Continue lendo.

Compartilhe